Marcelo Vieira – Política comentada e atualidades

Notícias, informações, entrevistas, reportagens e furos sobre política.

Busca em todo o site

Matinha: Justiça confirma candidatura de Zequinha Amaral e condena coligação de Linielda ao pagamento de multa por litigância de má-fé  

Por Marcelo Vieira Política
 





 

mati

Em decisão expedida nesta quarta-feira (28), o juiz Celso Serafim Júnior, da 86ª Zona Eleitoral, confirmou que o candidato a prefeito da coligação “Unidos Por Matinha”, Zequinha Amaral (PRTB), está apto a disputar as eleições do dia 02 de outubro.

O magistrado também condenou a coligação “Matinha é de Todos”, da candidata Linielda (PC do B), ao pagamento de multa no valor de dez salários mínimos por litigância de má-fé.

Linielda e o seu marido, Eldo Jorge, também do PC do B, utilizando a coligação, tentaram indeferir o registro de candidatura de Zequinha Amaral. Eldo, é importante frisar, teve que abandonar o projeto de ser prefeito de Matinha, e substituir o seu nome pelo o da esposa, depois de ter o seu registro de candidatura cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE/Ma). Eldo Jorge responde a processo na Justiça por crime de compra de votos.

A decisão de utilizar de uma manobra judicial para tentar prejudicar a candidatura de Zequinha Amaral ocorreu, segundo informações dos bastidores políticos da cidade, depois que o casal comunista tomou conhecimento das últimas pesquisas de intenção de voto que apontam Amaral como vencedor do pleito.

Vereador de três mandatos e já tendo exercido o cargo de da Câmara Municipal, Zequinha tem como candidata a vice-prefeita a também ex-vereadora, Maria de Jesus.

Ele comanda o maior grupo político da história de Matinha que, além do PRTB, conta com os apoios do PDT, PSDB, PSL, PSC, PTB, PP, DEM, PHS, PT do B, e PTN; oito, dos onze vereadores; além de de centenas de lideranças políticas e comunitárias.

mat2

“A manobra frustrada dos adversários é uma demonstração clara do desespero dos mesmos. Estamos fortes, unidos e, o que é o principal, contando com o apoio verdadeiro do povo matinhense que, no dia 02 de outubro, sairá, mais uma vez, vitorioso”, disse Zequinha.

Para o atual prefeito Beto Pixuta (PDT), Zequinha é, sem dúvida, o melhor nome para governar Matinha, a partir de janeiro, e fazer com que a cidade continue no caminho certo do progresso.

“Nossa administração trabalhou muito nestes quase quatro anos. E o povo apoia Zequinha e Maria de Jesus porque quer que esse ciclo proveitoso de desenvolvimento tenha continuidade”, afirmou.

 

Debate desmonta propaganda de Edivaldo no rádio e TV

Por Marcelo Vieira Política
 





Edivaldonodebate

Do Blog Aquiles Emir

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), pelo que se viu na noite desta quinta-feira (29), na TV Mirante, estava correto em não querer participar de debates com seus adversários nesta corrida pela Prefeitura de São Luís, pois em apenas 1h45 foram desmontados todos os seus discursos de 45 dias de propaganda eleitoral no rádio e na televisão, já que não eram 100% fundamentados na realidade.

Sobre coleta de lixo, o prefeito não soube explicar, por exemplo, uma indagação do candidato Wellington do Curso (PP) sobre a existência de 600 lixões espalhados na cidade. Edivaldo preferiu se vangloriar de haver acabado com o Aterro da Ribeira e transferido o depósito de lixo para outro lugar. Faltou dizer, porém, que a extinção do Lixão da Ribeira foi uma decisão do Ministério Público porque vinha ameaçando, com a concentração de urubus, pousos e decolagens de aeronaves no Aeroporto Marechal Hugo da Cunha Machado. O novo aterro não foi o prefeito que fez, até porque está em outro município, Rosário, e é privado, ou seja, a Prefeitura está pagando com a exportação de lixo para fora dos seus limites.

O prefeito foi surpreendido também com a revelação de que nunca mandou o Plano de Saneamento Ambiental para a Câmara Municipal, como lembrou o deputado Eduardo Braide (PMN). Edivaldo diz que mandou, porém nem os vereadores não sabem em que lugar do parlamento municipal ele se encontra.

A pior revelação foi o fato de o prefeito, que tanto propagandeou a reforma do Hospital da Mulher, nunca ter providenciado um mamógrafo, apesar de haver uma emenda parlamentar de Eduardo Braide no valor de R$ 300 mil. Não comprou simplesmente porque não enviou a documentação à Secretaria Estadual de Saúde para que sua aquisição fosse providenciada.

No quesito habitação, ficou provado que Edivaldo não construiu uma das 11 mil casas que diz ter feito, pois todas são do governo federal, pelo Minha Casa, Minha Vida, muitas delas iniciadas na gestão de João Castelo (PSDB). O que a prefeitura não fez foi a contrapartida: escolas, postos de saúde, melhorar acesso etc, por isto muitas dessas residências ainda não foram ocupadas pelos mutuários.

Sobre as famosas creches, Edivaldo admitiu que das 20 prometidas em 2012 apenas seis saíram do papel: quatro em construção e duas ainda com terrenos na terraplenagem. Para ele, a culpa foi da crise econômica, o que impediu o governo federal de fazer os repasses a tempo.

Quanto ao turismo, apesar dos números da Infraero atestarem uma queda brutal no movimento de passageiros, o prefeito insiste que vem incentivando o setor, mas foi confrontado com as medidas tomadas para suspender o carnaval no primeiro ano e ainda não ter pago os cachês das brincadeiras juninas que se apresentaram no São João deste ano. O incentivo à cultura, que atrai turistas, ele ficou devendo.

Outro setor que o prefeito tanto se vangloriou na propaganda eleitoral, o apoio à agricultura familiar, suas medidas foram confrontadas com o fato de estar há mais de seis meses sem pagar os agricultores que fornecem para a merenda escolar. E mais: os 30% de merenda escolar com produção local não é uma iniciativa sua, mas uma obrigação legal.

Sobre o esporte, basta lembrar que não conseguiu sequer reformar o Estádio Municipal Nhozinho Santos.

Resumindo, se Edivaldo tivesse participado de mais debates, talvez estivesse numa situação mais complicada do que tentam amenizar as pesquisas de intenção de voto. Resta saber se os efeitos do debate da Mirante vão se refletir na decisão do eleitor.

MPE vai apurar desvio de R$ 33 milhões de contrato com o ISEC na gestão de Edivaldo

Por Marcelo Vieira Política
 





Resultado de imagem para edivaldo holanda

O procurador regional eleitoral Thiago Ferreira de Oliveira encaminhou aos promotores eleitorais das zonas eleitorais de São Luís uma representação referente a prática de abuso de poder na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Trata-se do episódio que ficou conhecido como “caso ISEC”, que resultou no desvio de cerca de R$ 33 milhões dos cofres públicos municipais, por meio de um contrato firmado com uma instituição educacional.

O Instituto Superior de Educação Continuada (ISEC) foi contratado via processo administrativo de dispensa de licitação pela Secretaria Municipal de Governança Solidária de Orçamento Participativo (SEMGOP) para promover ações de “aculturamento das discussões sociais” e de “mapeamento das entidades sociais do município e sua regularidade”.

Desvio de finalidade

A iniciativa resultaria em ações de grande relevância para a população e para a própria administração pública, se não tivesse havido desvio de finalidade. Trabalhadores contratados para tocar o projeto denunciaram ao Ministério Público Estadual, após ficarem vários meses sem receber salários, que a informação repassada a eles foi de que a verba seria fracionada entre vereadores aliados ao prefeito e secretários municipais, que redistribuiriam o dinheiro para cabos eleitorais e lideranças.

Em seus depoimentos ao promotor de Justiça Lindonjonson Gonçalves de Sousa, responsáveis pelo caso, os colaboradores revelaram que cada aliado de Edivaldo Holanda Junior teria recebido em média de 30 cargos para distribuir para seus apoiadores.  Segue cópia da representação:

isec desvio

Do Blog Daniel Matos

Wellington vai processar Márcio Jerry depois de injúria do secretário

Por Marcelo Vieira Política
 





Resultado de imagem para márcio jerry

O candidato a prefeito de São Luís, Wellington, não poupou críticas ao secretário de Articulação Política e Comunicação Social que vem tentando atrapalhar de todas as formas sua candidatura.

Em nota, Wellington diz que Márcio Jerry  tenta atrapalhar o processo eleitoral de São Luís e por isso será processado.

Veja na íntegra:

*Repúdio a uma injúria*
Encontrava-me hoje na praça D. Pedro II gravando um programa de televisão e, também, concedendo uma entrevista à TV Mirante, quando, um pouco adiante, um grupo de esposas e parentes de presidiários se aglomerava em frente ao Palácio dos Leões solicitando um encontro com membros do governo.

Ao verem os equipamentos de televisão que faziam a minha gravação e, a partir daí, me reconhecerem, algumas delas se aproximaram para pedir alguns selfs, algo que, como candidato a prefeito, sempre me ocorre quando saio às ruas de São Luís.

Tratei todas elas com o respeito e a sobriedade com que sempre trato as pessoas. Nada, além disso.

Para minha surpresa e indignação, tomei conhecimento de que o secretário de comunicação do Estado, o inquieto e fanfarrão Marcio Jerry, cometeu a irresponsabilidade de acusar-me de associação com o crime organizado, utilizando, para isso, as redes sociais e os blogs de sua facção, todos financiados com a verba publicitária do Governo do Estado.

Claro que essa iniciativa tem um escancarado objetivo eleitoreiro, quando faz o uso ardiloso das redes sociais, especialmente na véspera das eleições e já encerrada a propaganda eleitoral, com a visível intenção de impossibilitar-me o amplo e necessário esclarecimento à população. Uma covardia a mais.

Por tudo isso, venho comunicar aos meus conterrâneos que estou ingressando em juízo para processar o referido agressor, dentro do que faculta o artigos 243 da Lei 4.737/65 e artigos 17 e 18 da Resolução TSE 23457/2015, tudo com o objetivo de reprimir essa e tantas outras atitudes rasteiras com que o secretário Marcio Jerry busca interferir fraudulentamente no processo eleitoral.

São Luís, Paço, Raposa e São José de Ribamar também terão apoio de tropas federais

Por Marcelo Vieira Política
 





Resultado de imagem para tropas federais

Na noite desta quinta-feira (29), os ministros Henrique Neves e Luciana Lóssio aprovaram, ad referendum do Plenário, o envio de tropas da federais para outros nove municípios: Tabatinga e Beruri, no Amazonas; São Luís, São José de Ribamar, Vitorino Freire, Santa Inês, São Domingos do Maranhão, Paço do Luminar e Raposa, no Maranhão.
Com a decisão, soma em 52 o número de municípios maranhenses que receberão tropas federais durante as eleições 2016.

Julgamento de Zé Vieira atrai atenções ao Maranhão

Por Marcelo Vieira Política
 





ze-vieira

A apreciação, pelo Tribunal Reigonal Eleitoral do Maranhão (TRE-MA), de um recurso do candidato a prefeito de Bacabal Zé Vieira (PP) deve atrair atenções ao Maranhão.

Trata-se do julgamento que decidirá a situação da candidatura do ex-deputado pepista. Ele teve sua candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral em razão de várias condenações por desvios de recursos públicos (reveja).

O caso de Zé Vieira é, sem dúvida, um dos mais emblemáticos em todo o país. Respondendo a mais de 70 processos na Justiça Comum, Zé Vieira ainda tem seis condenações pelo Tribunal de Contas da União (TCU), por desvios de recursos públicos que seriam destinados a saúde, educação e saneamento quando foi prefeito de Bacabal.

Por conta do amontoado de  irregularidades, é de se esperar que a decisão de primeiro grau seja mantida.

Caso contrário, o Maranhão dará a todo o país um péssimo exemplo: o de que, aqui, candidatos fichas-sujas, condenados pela Justiça por se locupletarem de dinheiro publico, podem voltem a, pelo menos, tentar assumir cargos eletivos.

É aguardar e conferir…

Gilberto Léda

Com 49% dos votos, Luciano será eleito prefeito de Pinheiro, diz pesquisa

Por Marcelo Vieira Política
 





14292258_1175209639168449_3746065424255949572_n

O Instituto Prever divulgou dados sobre a disputa eleitoral em Pinheiro. Pelos dados, lidera a corrida pelo comando do município Luciano Genésio (PSDB).

A pesquisa traçou vários cenários colocando os principais postulantes ao cargo de prefeito na disputa e também aferiu a rejeição dos mesmos.

Se as eleições fossem hoje, o candidato Luciano Genésio (PSDB) venceria as eleições com 49%. Em segundo ficaria o atual gestor Filuca Mendes (PMDB) com 27,2%. O candidato do governo do estado, Dr. Leonardo Sá com 13,6%. Não souberam ou não responderam 6,8%. Votos nulo/branco 1,6%.

O instituto também fez o levantamento sobre a rejeição dos candidatos de Pinheiro. Os números mostram que Filuca Mendes tem maior rejeição com 65,4% da opinião dos entrevistados.

Somente 30,9% da população aprovaram. Não souberam ou não responderam 3,7%. A pesquisa foi realizada no dia 24 a 26 de setembro e foi registrada na Justiça Eleitoral sob número MA-00961/2016. A margem de erro foi de 4,5% para mais ou para menos.

 

pesquisa-pinheiro-ma-estimuladapesquisa-pinheiro-ma-rejeicao

Mais uma safadeza de Edivaldo e Márcio Jerry para prejudicar Wellington…

Por Marcelo Vieira Política
 





Wellington conversa com esposas de presidiários que protestam contra maus tratos em frente ao Palácio

Muita gente pode não ter entendido os sucessivos tweets postados nesta quinta-feira, 29, pelo secretário de Articulação Política do governo Flávio Dino (PCdoB), jornalista Márcio Jerry.

Jerry, que controla do Palácio dos Leões a candidatura do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) tenta vincular Wellington a facções criminosas.

Chega a falar até de um vídeo em que o candidato do PP apareceria, estimulando parentes de presos a rebeliões.

Os twiites de Márcio Jerry: tentativa de criminalizar ação parlamentar legítima pelos direitos humanos

O conluio entre a prefeitura comandada por Edivaldo Júnior e o governo Flávio Dino tentou, há três semanas, vincular Wellington do Curso a uma suposta invasão de um terreno na região do Sítio Santa Eulália.

Usado à exaustão pela mídia controlada pelos dois palácios, o processo manipulado pelo procurador-geral do Estado, Rodrigo Maia – que também foi secretário de Holandinha – foi extinto pelo juiz da 4ª Vara da Fazenda Pública, Cícero Dias, que constatou a armação para tentar implicar Wellington e prejudicar sua campanha a prefeito.

Agora, é o próprio Márcio Jerry, lugar-tenente de Flávio Dino,  quem toma a frente do conluio, na tentativa de garantir a vitória de Edivaldo em primeiro turno.

A ação sorrateira, no entanto, pode acabar virando mais um tiro no pé da campanha do prefeito.

É aguardar e conferir…

Do Blog Marco Aurélio D’Eça

Cadê a Justiça Eleitoral? Prefeito de São Luís comete abuso de poder político

Por Marcelo Vieira Política
 





onibus-sao-luis-prefeiro-edivaldo-holanda

Candidato à reeleição, o prefeito de São Luís (MA), Edivaldo Holanda Jr (PDT) rasgou a lei eleitoral. Apoiado pelo governador Flávio Dino (PCdoB), que faz um mandato contestado pela população, Holanda entregou dezenas de ônibus novos à população a menos de 72 horas do início da votação.

A equipe jurídica da candidata Eliziane Gama (PPS) entra, na parte da tarde, com ação contra o prefeito por crime eleitoral. O pedido é baseado em flagrante ocorrido nesta quinta-feira (29), em uma das vias de maior movimentação da capital maranhense.

Holanda anunciou no programa eleitoral, transmitido em cadeia de rádio e televisão de São Luís, que os novos veículos chegariam em breve à capital do Maranhão.

A conduta configura abuso de poder político e o uso indevido do cargo com finalidade de obter votos e desequilibrar as eleições, segundo norma do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

holanda-6

Do Diário do Poder

Jogo sujo: Wellington denuncia monitoramento e pede que PF entre no caso

Por Marcelo Vieira Política
 





wc n1

O deputado estadual Wellington do Curso (PP), candidato a prefeito de São Luís pela coligação “Por amor a São Luís”, protocolou agora há pouco na presidência da Assembleia Legislativa, um pedido para que a Casa solicite da Polícia Federal investigação sobre suposto monitoramento contra ele.

Em oficio encaminhado ao presidente Humberto Coutinho, o parlamentar informa que estava sendo seguido e fotografado por homens em uma Toyota Hilux preta(foto abaixo) e solicita apoio dos federais para identificar quem o monitora.

preta

Wellington contou que ao perceber a movimentação se aproximou do veículo, que perceber os condutores ao perceberem sua chegada se evadiram. A placa da caminhonete foi consultada e não se encontra no sistema do Detran-M. Ou seja , o veículo usado para seguir Wellington, tem placa fria.

” Estamos tomando todas as providências para impedir esse tipo de prática suja. Perderam o respeito e a noção da disputa política. monitorar um deputado , um candidato a prefeito, isso é uma afronta,  onde nós estamos.  Como parlamentar procurei primeiramente meu presidente Humberto Coutinho  e vamos pedir que a Polícia Federal investigue o caso que é grave. Temos a placa do veículo, que já sabemos que não consta no sistema do Detran-MA”, disse Wellington.

Quanto aos adversários afirmarem que não passa de factoide, não se pode esperar outra postura de quem usa a máquina pública para comprar votos e coagir servidores para fazer campanha.

O caso precisa ser investigado.

oficio