A herança maldita de Haroldo Léda em Lago do Junco

O ex-prefeito de Lago do Junco, Haroldo Léda , foi derrotado nas eleições do ano passado e não conseguiu sua reeleição. O resultado foi uma resposta do eleitor cansado do descaso do então prefeito. Haroldo Léda teve sua gestão reprovada nas urnas, mas ele deixou sua herança maldita.

Passado quase nove meses da nova gestão municipal em Lago do Junco, um importante prédio público, a Academia de Saúde, ainda não foi entregue pela gestão passada ao novo governo. É o que denuncia o prefeito Osmar Fonseca (PT).

O prédio fica localizado numa importante avenida na sede do município e foi construída  recentemente na gestão do então prefeito Haroldo Léda.

Financiada com recursos do Governo Federal, Ministério da Saúde e Governo Municipal, a Academia de Saúde que deveria servir a comunidade, principalmente os idosos,  nunca foi equipada.

A ex-secretária municipal de Saúde de Lago do Junco, Lolete Arruda, atual presidente da COSEMS/MA, deixou o cargo em 1ª de janeiro do corrente, mas se esqueceu de entregar as chaves do prédio da Academia de Saúde.

Segundo informações da Secretaria de Obras do município, o prédio novo entrou em 2012 completamente deteriorado, necessitando de reformas estruturais urgentes devido a rachaduras nas paredes, infiltrações, queda de forro e depredação. O abandono acabou transformando o espaço que serviria como uma academia de ginástica pública, numa espécie da latrina pública.

“Nunca recebemos as chaves da ex-secretária de Saúde, dona Lolete Arruda. Poderíamos forçar as portas mas devido a situação de abandono daquele prédio, resolvemos deixar que a justiça se posicione, porque muito dinheiro foi gasto naquela obra, era para está funcionando com toda a estrutura e equipamentos necessários , mas nunca funcionou e agora precisa de uma nova reforma !”Disse o prefeito Osmar Fonseca.

(blog do Carlinhos/editado)

Com desgaste acentuado do filho prefeito, Holandão convoca secretários para exigir “respostas urgentes”…

Blog do Marco D’Eça

Todos os secretários da administração Edivaldo Júnior (PTC) foram convocados para uma reunião hoje.

– A conversa está marcada para começar às 15h, mas não tem hora para terminar. Ele quer respostas urgentes e imediatas – disse ao blog  um dos convocados.

A reunião deve ser comandada pelo próprio Holandinha, mas será o seu pai, o ex-deputado Edivaldo Holanda, o responsável pelas cobranças.

Holandão ressente-se do desgaste acentuado da gestão do filho e considera pífios os resultados apresentados pela equipe, em todas as áreas.

Ele tem razão.

A gestão de Holandinha é a pior dentre todas as gestões desde que a capital voltou a ter os prefeitos eleitos pelo vot0 direto. E é a única a sofrer rejeição tão grande da população com menos de um ano de mandato.

Nas últimas semanas, as notícias negativas se acentuaram.

No Socorrão, a mudança de direção não surtiu o efeito desejado e a unidade de saúde voltou ao mesmo caos já comum nos demais setores da Secretaria Municipal de Saúde.

Na Educação, a redução da carga horária dos estudantes por falta de professores é um assunto grave para o prefeito. Pior ainda é a suspensão do programa “Leite na Escola” – sem previsão de retornar.

O Trânsito da capital vive um dos seus piores momentos, sob o comando de uma secretária absolutamente ausente e despreparada.

Além disso, a pressão dos aliados pelo uso da máquina pública em favor do chefão comunista Flávio Dino tem sido cada vez maior – o que já culminou com a presença de funcionários da prefeitura em eventos políticos de Dino no interior.

Tudo isso se reflete na imagem do prefeito, cada vez mais desgastada.

Holandinha tem hoje uma imagem de fraco, incompetente e despreparado – e covarde, que se esconde do povo para não responder à pressão.

E é isso que Holandão tentará mudar, chamando os secretários na “catraca”.

Vai funcionar???

CPI da Mulher apresenta relatório com sugestões para reduzir casos de violência

deputada Francisca Primo, presidente da CPI

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apurou os casos de violência contra a mulher no Maranhão apresentou, nesta quinta-feira (29), o relatório das investigações. Da reunião participaram o presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Melo (PMDB), a presidente da CPI Mulher, Francisca Primo (PT), o relator Roberto Costa (PMDB), e as integrantes Cleide Coutinho (PSB) e Gardênia Castelo (PMDB), além dos deputados Jota Pinto (PEN) e Eliziane Gama (PPS).

O deputado Roberto Costa leu um resumo do relatório, que foi entregue ao presidente da Assembleia e será levado a outras autoridades, como o Judiciário, o Governo do Estado, o Ministério Público e a Defensoria Pública, com as sugestões para reduzir os casos de violência no Maranhão contra as mulheres.

Arnaldo Melo disse que a AL está aberta a ajudar no que for necessário, para combater a violência, e informou que a Frente Parlamentar em Defesa da Mulher vai se transformar em um fórum permanente para receber denúncias de casos e acompanhar as vítimas.

Uma das propostas é que o Governo do Estado implante imediatamente as delegacias da mulher já criadas, contrate servidores e crie postos do Instituto Médico Legal (IML) próximos às delegacias da mulher que já existem em São Luís e Imperatriz. Outras propostas são a criação de um centro de reabilitação do agressor e a realização de campanha permanente a respeito da Lei Maria da Penha.

Pede também que o Judiciário acelere o julgamento dos processos contra agressores de mulheres e que o Ministério Público leve a outros municípios a campanha que faz sobre a Lei Maria da Penha. À Defensoria Pública, a CPI pede que instale núcleo de defesa da mulher nas unidades que possui no Estado.

A deputada Eliziane Gama, que é presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Assembleia, sugeriu e o relatório incorporou a criação de um fundo de amparo às vítimas da violência contra a mulher, nos moldes do que existe em outros Estados. O presidente da Assembleia foi outro que concordou com a proposta e sugeriu que a comissão recolha a legislação que já existe em torno do assunto.

Agência Assembleia 

Simplício Araújo trai Marina Silva e o PPS

Do Atual7

Enciumado desde que a deputada estadual e pré-candidata ao governo do Maranhão em 2014, Eliziane Gama, foi confirmada pela Executiva Nacional a presidente da legenda, e com a falha na fusão dos partidos PPS e PMN em formar o Mobilização Democrática (MD), o hoje deputado federal Simplício Araújo passou a acompanhar – juntamente com quase ex-petista Domingos Dutra – Marina Silva na cruzada pela validação de assinaturas para a criação da Rede Sustentabilidade, partido que a ex-senadora pretende fundar para concorrer às eleições presidenciais em 2014.

A ex-senadora Marina Silva, ladeada dos deputados federais que mais parecem seguranças, Simplício Araújo e Domingos Dutra. Foto: Divulgação
A ex-senadora Marina Silva, ladeada dos deputados federais que mais parecem seguranças, Simplício Araújo e Domingos Dutra. Foto: Divulgação

Com receio de ficar sem legenda, Simplício, que exonerou recentemente um servidor que mantinha em seu gabinete, só após ser denunciado pela imprensa, começa a mostrar que a fome pelo poder passa por cima de sua tão propalada autopromoção de ‘parlamentar ético’.

Bastou que o partido de Marina corresse o risco de não ser registrado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), até o dia 5 de outubro deste ano, para que Simplício Araujo pulasse para outra rede, ou melhor outro partido.

De acordo com o blogueiro John Cutrim, o deputado maranhense pretende trocar o PPS pelo Partido Solidariedade, de olho na direção estadual da legenda. A confirmação teria sido feita nessa quarta-feira (28), ao presidente nacional da legenda, Roberto Freire. Enquanto Marina sofre para criar a Rede, o Solidariedade conta os dias para sair do papel. A legenda ligada às centrais sindicais está prestes a obter seu registro no TSE.

Embora tenha argumentado ao blogueiro Robert Lobato que a sua participação no processo de construção do novo partido se dava apenas pelo respeito à história de vida de Marina Silva e também à proposta inovadora do movimento por uma nova política, o deputado federal maranhense se desmentiu, e postou na página de seu mandato na internet que a verdadeira intenção era a filiação à sigla. Era.

Após críticas, Flávio Dino bloqueia blogueiro no Twitter

O presidente da Embratur e pré-candidato ao governo do estado, Flávio Dino, é a intolerância em pessoa. Considerado por muitos um arrogante de primeira grandeza, o chefão do pseudo comunismo maranhense perdeu a linha na rede social. mas não foi por nenhum chilique, que ele costuma protagonizar ao vivo e em cores.

Perturbado com a criticas do blogueiro Robert Lobato, ele simplesmente decidiu bloqueá-lo de seu Twitter. Coisa de menino chorão que não suporta ser contrariado.   Desse jeito não dá para cobrar liberdade democrática dos outros.

“Por várias vezes tento seguir o líder da oposição Flávio Dino e sempre sou bloqueado do seu perfil no Twitter. Minha intenção era segui-lo para ver se me convenço de dar meu voto de governador pra ele, mas me censurando deste jeito fica difícil”, disse Lobato ao blog do Marcelo Vieira  blogueiro.

Sem lugar para outro Filho…

Na última segunda-feira(27), a governadora Roseana Sarney recebeu para uma audiência no Palácio do Leões uma comitiva de Bacabal. Estavam presentes o deputado estadual Roberto Costa, o senador João Alberto, o secretário de Saúde dr Antonio Hidalgo, o deputado federal Alberto Filho e seu pai, o prefeito Zé Alberto.

Quem olhou a foto da audiência sentiu falta de outro Filho.  A ausência do secretário de Turismo só revela o tamanho de seu desprestígio junto governo e ao seu município. Mas ele “jura” que ainda tem alguma importância no cenário político.

Reportagem revela bandalheira na gestão de Eunélio Mendonça em Santo Antonio dos Lopes

Estudantes da rede municipal de Santo Antônio dos Lopes (a 302 km de São Luís), são transportados para a escola na carroceria de um caminhão. Eles arriscam a vida todos os dias em viagens pela BR-135.

Em grande quantidade, os estudantes do ensino fundamental e médio do povoado Muriçoca (a 18 km da cidade) seguem em pé na carroceria por conta do espaço, segurando um ao outro. Alguns, sequer se seguram. “Algumas pessoas já caíram de cima do carro, na pista. Mas o cara só fez se ralar”, contou o estudante Alexandre Borges.

Muitos se revoltam com a alternativa de transporte escolar. “Para a gente ir em pé é mais arriscado. Quando o carro cai em um buraco, ele balança de uma vez, aí a gente tem que se sentar, para poder se manter. Já era para ter mudado esse quadro”, reclamou a estudante Irena Machado.

O município recebeu quatro microonibus novos no fim de semana, conforme consta na propaganda da Prefeitura, em um outdoor. “Eu não sei para que eles mandaram esses ônibus, porque estão todos lá, guardados, e as pessoas aqui sofrendo nesse caminhão. Desde que eu moro no interior, sempre vim de caminhão para a escola”, disse a estudante Cinara de Sousa.

De acordo com o prefeito do município, Eunélio Macedo, a cena foi flagrada porque no dia da reportagem, o ônibus que passa por Muriçoca quebrou. Então, o caminhão o substituiu.

No galpão onde estão os veículos novos destinados ao transporte escolar, a secretária de Educação, Vânia Barbosa, afirmou que a mudança do cenário é uma questão de tempo. “Temos três ônibus grandes e três ônibus médios. Eles ainda estão parados devido à questão de documentação, emplacamento, mas, com certeza, em breve estaremos com esses ônibus transportando nossos alunos”, garantiu.

G1 Maranhão 

Mais um migué:Cléber Verde mantém inativa sala paga com verba pública

Congresso em Foco 

Neste mandato, Cléber Verde já gastou mais de R$ 78 mil com aluguel de escritório em São Luís pertencente a amigo, eleitor e financiador de campanha. Deputado admite que sala só é usada “eventualmente”

Uma sala localizada em um bairro de classe média de São Luís, no Maranhão, fica praticamente fechada o ano inteiro. O caso não mereceria destaque não fosse o fato de que sua manutenção é bancada com dinheiro de todos os cidadãos brasileiros. Ela é alugada pelo deputado Cléber Verde (PRB-MA) por R$ 3 mil mensais. Esse valor é integralmente ressarcido pela verba da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap), o chamado cotão.

De acordo com pessoas que trabalham no edifício Mendes Frota, localizado no bairro São Francisco, o deputado “quase nunca” aparece por lá e alguns funcionários vão de vez em quando para limpar e organizar a sala. Só neste mandato, ele já gastou R$ 78 mil para ter o local à disposição. A sala (veja foto abaixo) pertence a Luiz Sousa da Silva, amigo e eleitor de Cléber Verde. Em 2010, Luiz doou R$ 3 mil para a campanha à reeleição do deputado, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A doação foi feita “de livre e espontânea vontade”, conta o parlamentar.

A sala funciona como escritório político, onde “assessores, eventualmente, vão desenvolver alguma atividade orientada pelo gabinete”, diz o deputado. Por e-mail, Cléber Verde informou, ainda, que utiliza o local para encontros com prefeitos e lideranças do interior do estado, em compromissos relacionados ao mandato. Ele ressaltou que viaja o Maranhão todo, estado com 217 municípios, mas quando precisa estar na capital, utiliza o local para reuniões. O proprietário da sala contou ao Congresso em Foco que trabalha para o deputado em São Luís. O nome dele, porém, não aparece na relação dos funcionários contratados pela Câmara.

Como representante do Maranhão na Câmara, Cléber Verde pode gastar até R$ 35,6 mil por mês para custear despesas inerentes ao exercício do mandato. Entram nesta cota gastos com gasolina e aluguel de carros, divulgação da atividade parlamentar, emissão de bilhete aéreo e manutenção de escritório parlamentar, dentre outros. O valor é cumulativo, ou seja, o que não for usado em um mês pode ser gasto em outro, desde que não ultrapasse o total da dotação anual. Há limitação de gastos apenas para a compra de gasolina, limitada a R$ 4,5 mil mensais.

Farra com o cotão

Há três semanas, o Congresso em Foco tem mostrado como os parlamentares utilizam a bel-prazer a cota para custear despesas do mandato. A Câmara já gastou mais deR$ 31 milhões em aluguéis de veículos e R$ 22,8 milhões com combustíveis e lubrificantes desde 2012. Mas o valor pode ser ainda maior, pois os deputados têm até 90 dias para prestar contas. Destino de mais de R$ 500 mil pagos pela Casa desde o ano passado, a locadora de carros que mais aluga para deputados pertence a Parmênio Francisco Coelho Serra, que, segundo registros oficiais, foi funcionário da Câmara de fevereiro de 2007 a janeiro de 2013. Ele diz ainda ser assessor parlamentar, mas não revela para qual deputado trabalha.

Entre todos os deputados, o campeão no aluguel de veículos é Arnon Bezerra (PTB-CE). Desde o ano passado, ele gasta todo mês R$ 21,3 mil para locar cinco carros, sendo três de luxo. Outro parlamentar cearense também se destaca nesse tipo de despesa. É Manoel Salviano (PSD-CE), que aluga quatro carros, dois deles de luxo, inclusive umaMercedes, para percorrer o Ceará. Funcionários chegaram a informar que empresa proprietária dos automóveis pertence ao próprio parlamentar. Ele também utiliza a cota em um hotel do qual é acionista.

No Senado, a situação não é diferente. O senador Paulo Bauer (PSDB-SC) gasta R$ 6,6 mil para locar um veículo top da marca Kia. Após a publicação da reportagem, ele disse que mandará a conta, a partir de agora, para o diretório estadual do PSDB, cuja presidência assumiu no mês passado.

Depois de censurar, O Imparcial pode demitir hoje Clodoaldo Corrêa

A diretoria do Jornal O Imparcial marcou para hoje uma conversa com o jornalista e blogueiro Clodoaldo Corrêa. O encontro é para discutir o futuro do repórter da editoria de política do matutino.

Clodoaldo teve seu blog retirado do ar após postar matéria sobre as agências de publicidade contratadas pelo governo do estado. O jornalista recebeu o apoio dos colegas e da classe política que condenaram a censura imposta pelo jornal. O episodio pegou muito mal para O Imparcial.

Quanto ao seu blog, um novo já está sendo criado por ele e deverá estrear nos próximos dias, desta vez independente. O blog primeiro era hospedado no sítio de O Imparcial.

Não é a primeira vez que o Jornal censura e demite seus repórteres. Em 2008 o jornalista Henrique Bois foi demitido do jornalão, segundo rumores á época, a pedido do então secretário de comunicação da prefeitura de São Luís Edwin Jinkings.