Operadora de esquema no governo Zé Reinaldo, assume Secretaria de Saúde a convite de Holandinha

O prefeito de São Luís Edivaldo Holanda Júnior (PTC) derrubou hoje mais uma de suas peças do complicado tabuleiro de xadrez que se tornou sua combalida administração.

Felix Diniz, uma das apostas do prefeito para tentar minimizar o colapso da saúde municipal, deixou o cargo para dar lugar à uma experiente gestora do ramo; a vereadora Helena Duailibe (PMDB). Ela já vinha sendo cotada para assumir a Secretaria e hoje pela manhã sua nomeação foi confirmada pelo prefeito Edivaldo JR.

A experiência de Helena no Sistema de Saúde é notória por sua passagem pela Secretaria de Saúde de Estado no governo Zé Reinaldo, quando comandou um escandaloso esquema de convênios fraudulentos que contribuiu para a vitoria de Jackson Lago (saudosa memória) ao governo nas eleições de 2006 e consequentemente para sua cassação em abril de 2009.

Em ano eleitoral, a estratégia de nomear Helena foi acertada. Ela está na Secretaria certa e no momento certo. E Flávio Dino, candidato ao governo do estado, assina em baixo a indicação, mesmo sendo alguém do PMDB.

Gastão Vieira falta trabalho para ‘inaugurar’ hospital em Matões do Norte

Ministro do Turismo ‘matou’ sexta-feira para participar de evento que lhe garante visibilidade e maior possibilidade de votos em outubro.

Atual7

Não é só Flávio Dino, não. Embora receba dinheiro do contribuinte para trabalhar e não para passear e fazer campanha política, o ministro do Turismo, Gastão Vieira, chefe do comunista, também resolveu gazetear o serviço para viajar pelo interior do Maranhão, em busca de votos.

Concorrendo à reeleição para a Câmara dos Deputados, Vieira aproveitou a entrega do Hospital de Matões do Norte, na manhã desta sexta-feira (31), pela governadora Roseana Sarney e o secretário de Saúde Ricardo Murad, para tirar uma casquinha eleitoral do evento.

Diante do flagra, o Atual7 apura agora se o ministro gazeteiro usou de diárias da Pasta para participar do evento do Governo do Estado, o que não seria novidade.

 

Secretários têm até hoje para comunicar Governo sobre disputa de eleição

Termina hoje o prazo para que todos os auxiliares de primeiro escalão da governadora Roseana Sarney (PMDB) respondam ao ofício enviado pelo secretário-chefe da Casa Civil, João Abreu, que pede a manifestação sobre a possibilidade de entregar o cargo para entrar na disputa eleitoral deste ano. A maioria dos secretários preferiu aguardar o prazo final para responder.

O ofício foi enviado na segunda-feira (27). No dia seguinte, segundo João Abreu, começaram a chegar as respostas. Sem citar nomes ou mesmo o número de respostas, o secretário-chefe da Casa Civil disse que somente iria divulgar os pré-candidatos para o pleito de outubro hoje.

Entre os que já entregaram a resposta está o titular da pasta de Cidades, Hildo Rocha (PMDB). Segundo ele, a resposta ao ofício já foi dada com a informação de que pretende deixar o cargo para disputar sua indicação dentro do partido para ser candidato a deputado federal.

“Já respondi e disse que tenho a pretensão de me candidatar este ano. Informei que vou disputar internamente no meu partido para ser candidato à Câmara Federal. Algo que somente será decidido nas convenções de junho”, afirmou Hildo Rocha.

Outros secretários preferiram deixar para responder no último dia. Esse é o caso do titular da Saúde, Ricardo Murad (PMDB), que será candidato à reeleição a deputado estadual.

Impasse – Os petistas Antônio Heluy (Trabalho e Economia Solidária) e Rodrigo Comerciário (Articulação Institucional) também responderão ao ofício apenas hoje. Ao contrário de Ricardo Murad, os secretários do PT ainda estão dialogando para decidir os rumos políticos que seguirão este ano.

Antônio Heluy garante que, até o fim do prazo para a resposta, ainda vai dialogar com membros de seu partido e também de siglas aliadas. Somente após essas conversas pretende apontar sobre sua saída ou não do cargo até o período de desincompatibilização (que será no início de abril).

“Estamos discutindo e fechando os pontos políticos. Até amanhã [hoje], ainda temos muito o que dialogar”, disse Heluy.

Rodrigo Comerciário também está em processo de negociação com o PT e com aliados e por isso não respondeu antes o ofício.

Na verdade, o impasse dos petistas passa pela indefinição sobre o resultado do Processo de Eleição Direta (PED) no Maranhão. Algo que somente será definido pela direção nacional da sigla.

A cautela em anunciar uma possível saída para a disputa eleitoral passa pela manutenção da aliança PT/PMDB já que ambos pretendem entrar na disputa para ser o candidato a vice na chapa do pré-candidato peemedebista, Luis Fernando Silva (PMDB). No caso de Antônio Heluy, além de trabalhar para ser o vice na chapa majoritária, ele discute a possibilidade de ser candidato a deputado estadual.

De O Estado

Luis Fernando assina ordem de serviço da MA 278

As cidades de São Francisco do Maranhão e Barão do Grajaú receberam a visita do secretário de Estado de Infraestrutura, Luís Fernando Silva, nesta quinta-feira (30).  Nos dois municípios, o secretário assinou ordem de serviço para pavimentação e recuperação da MA 278, interligando as duas cidades.

A iniciativa faz parte do programa Viva Maranhão, que está mudando o mapa rodoviário do estado com obras de asfaltamento e restauração de rodovias.

O evento contou com a participação dos deputados estaduais, Arnaldo Melo, Estênio Resende, Alexandre Almeida, Sétimo Waquim, Rogério Cafeteira; lideranças políticas e comunitárias da região; além de prefeitos da região, Zé Mário (São João dos Patos) e Gleidson Resende (Barão de Grajáu).

Com um investimento de aproximadamente 45 milhões de reais, a obra com 66 km de extensão, terá duas frentes de serviço. O secretário Luís Fernando, destacou os investimentos realizados em todo Estado.

 ”Nunca São Francisco do Maranhão recebeu uma obra deste valor. O agricultor familiar merece um escoamento melhor da produção por uma estrada asfaltada. Portanto, essa obra irá beneficiar a cidade de São Francisco do Maranhão, Barão do Grajaú e toda a região. A governadora se mostra sensível às reivindicações da população, por isso, onde houver um maranhense terá uma obra do Governo do Estado”, ressaltou o secretário.

As obras de asfaltamento e restauração das rodovias da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) vão beneficiar cinco milhões de maranhenses, que viviam praticamente isolados com uma malha rodoviária sucateada e/ou estradas de chão.

O prefeito de São Francisco do Maranhão, Valdivino Alves, ressaltou que a assinatura da ordem de serviço é um marco na história de transformação da cidade.

Barão do Grajaú

Em Barão do Grajaú, o secretário da Sinfra acompanhado de lideranças políticas, foi recepcionado por moradores que comemoraram a iniciativa de pavimentação da rodovia. Na oportunidade, o secretário anunciou mais 4 km de asfalto para pavimentação urbana em Barão do Grajaú.

Luis Fernando enfatizou, também, que as máquinas já estão no local para iniciarem as obras.

“A partir de agora acaba o período de lama no inverno e poeira no verão. Também na parte de acabamento da obra a construtora já foi avisada para dar oportunidade aos moradores da cidade, priorizando a mão de obra local”.

O prefeito de Barão do Grajaú, Gleidson Resende afirmou que esta obra era esperada há mais de 50 anos.

Com os investimentos do governo nessa área, o Maranhão será o primeiro estado do Nordeste a ter todas as cidades ligadas por asfalto. Para isso, faltam apenas 12 municípios a serem interligados. Deste total, 10 já tiveram obras licitadas.

SP registra em um mês 59 ataques à ônibus e SL sofre 12 em um ano. Intervenção Federal?

Blog do Luis Cardoso 

A violência que vem sendo cometida em outros estados da federação ganhou destaque na imprensa nacional, mas não tanto como as registradas no Maranhão.

Somente nos trinta dias de janeiro, na cidade de Campinas em São Paulo, foram registrados 150 homicídios, entre latrocínios. 59 ônibus já foram atacados por vândalos incendiários, sendo 28 somente nesta semana.

Numa chacina ocorrida também em Campinas, 13 pessoas foram assassinadas numa só noite em diversos bairros da cidade.  Em Brasília, também vem ocorrendo manifestações violentas com ataques à ônibus e assassinatos.

Na quarta-feira (29) representantes nacionais e estaduais da OAB estiveram reunidos em São Luís para tratar sobre a crise no sistema de segurança pública no Maranhão, por conta do último ataque criminoso, onde uma criança de seis anos morreu e mais quatro pessoas ficaram feridas, vítimas de incêndio a um coletivo na Vila Sarney Filho no dia 3 de janeiro. Outro assunto discutido foram as mortes nos presídios.

A comissão propôs ao estado que pague uma indenização vitalícia para esposa, companheiro ou filhos das vítimas dos atentados e dos presos mortos no Complexo Penitenciário de Pedrinhas entre o ano de 2013 e janeiro de 2014. Atitude correta se aprovada pelo governo.

O grande problema é a proporção de como foram e como estão sendo avaliadas as práticas criminosas em São Luís e em todo o estado.

A mídia tem dado um destaque bem maior à violência cometida no Maranhão mesmo sabendo que a ‘crise no sistema de segurança’ é um problema nacional, que não deve ser usado de forma alguma como manobra política. Há anos e anos que o sistema carcerário em todo o Brasil vem dando alarmes de emergência. E isso não é mérito do nosso estado.

Diante de tanta evidência, a violência no estado foi vista de perto e narrada por jornalistas de todo o país, que vieram à São Luís para divulgar nos quatro cantos do mundo que a situação por aqui é mais grave que em qualquer outro lugar do mundo. Sensacionalismo? Não. A violência é tamanha mesmo, mas não deve ser vista como um transtorno local.

Em São Paulo e Brasília, por exemplo, as correções devem ser feitas em caráter de urgência, mas em nenhuma das duas localidades foi pedida intervenção federal, nem tão pouco um impeachment de governante.

Homicídios, violência urbana, superlotação e mortes em presídios não ocorrem só aqui no estado do Maranhão.

Evento organizado por Flávio Dino aplica calote de R$ 91,3 milhões

Do Atual7

A poucas horas de entregar o cargo que ocupa há quase três anos, o ainda presidente da Embratur, Flávio Dino, deixará como marca um calote milionário num dos eventos que coordenou em sua passagem desastrosa pela autarquia subordinada ao Ministério do Turismo, marcada pela pífia entrega de brigadeiro como prêmio para a turismo número 6 milhões e o rombo de R$ 20 bilhões na conta turismo.

Pré-candidato pelo PCdoB ao governo estadual por uma parte da oposição, para se desvincular da imagem de ateu, Dino espalha pelo Maranhão que a realização de um grande evento católico no País é um de seus principais portfólios, sempre com a mesma conversa de que houve quebra de recordes.

ESSE ‘SANTO’ QUER REZA De olho dos votos de católicos, até bandeira do Maranhão presidente da Embratur entregou ao Papa. Foto: Reprodução
ESSE ‘SANTO’ QUER REZA De olho dos votos de católicos, até bandeira do Maranhão presidente da Embratur entregou ao Papa. Foto: Reprodução

De acordo com reportagem da Folha de S.Paulo do início de janeiro deste ano, a direção da Jornada Mundial da Juventude, evento organizado pela Embratur na gestão do comunista, em julho de 2013, teve de recorrer ao Vaticano para pagar dívidas da JMJ, no valor de R$ 91,3 milhões.

Solidário com a quitação do calote, ao saber da dívida, o papa Francisco resolveu contribuir com R$ 11,7 milhões para ajudar a reduzir o prejuízo deixado pelo evento que esteve sob a coordenação de Dino.

Ainda segundo a Folha, para tentar pagar a dívida, a Igreja Católica do Brasil teve de renegociar com os fornecedores, abrir campanhas de doações, e até vender o imóvel onde funciona o Hospital Quinta D’or, porém a estratégia não conseguiu evitar que a dívida ficasse abaixo de R$ 43,2 milhões. Com a contribuição do Papa, o calote caiu para R$ 31,5 milhões.

O Atual7 apurou que, além do que noticiou a Folha, a Igreja ganhou ainda um alívio de R$ 1,7 milhão por parte da Prefeitura do Rio, que abriu mão dos impostos e evitou que a dívida milionária deixada pelo evento organizado pela gestão comunistas na Embratur fosse ainda maior.

Luis Fernando imprime um ritmo de trabalho que anima a classe política

Blog do Robert Lobato 

A oposição reclama que prefeitos estão declarando apoio e voto ao pré-candidato a governador Luis Fernando (PMDB).

A manifestação dos gestores municipais é interpretada pela imprensa aliada ao dinismo como “campanha antecipada”; e quando é o próprio Luis Fernando que diz “quero ser o governador de vocês”, aí a coisa se transforma em  ”abuso de poder político” e “uso da máquina”.

Bobagem. Pura bobagem!

O que está ocorrendo é que a classe política começa entrar no clima da pré-campanha; começa também a perceber que as escolhas terão que ser feitas mais cedo, ao mesmo tempo em que parece demonstrar maior conhecimento sobre a capacidade de trabalho de Luis Fernando e projetar na figura do secretário um grande governador para o Maranhão.

Tem sido assim por onde o comandante da Sinfra tem passado.

Foi assim quando da inauguração, na manhã de terça-feira, 28, ao lado da governadora Roseana, da obra de melhoramento e pavimentação de 41 km da rodovia MA-012, que beneficia moradores dos municípios de Esperantinópolis, São Roberto e São Raimundo do Doca Bezerra, cidades situadas na Região Central do Maranhão.

Foi assim também na sua passagem pela cidade de Itapecuru-Mirim onde, num discurso emocionado, o prefeito Magno Amorim (PPS) conclamou a população para dar as mãos e caminhar ao lado de Luis Fernando. E assim será até o dia em que a campanha começar oficialmente.

Ainda no mês de dezembro do ano passado, a oposição desdenhava de que ninguém queria ser candidato a vice-governador na chapa liderada por Luis Fernando, mas agora vemos lideranças de várias regiões do estado organizando movimentos visando a indicção do vice do peemedebista, como ocorreu nesta semana com lideranças da Baixada Maranhense.

O candidato governista já deu provas que tem disposição para o trabalho, e isso tem animado a classe política, tanto que inúmeros prefeitos, inclusive da oposição, têm declarado apoio a ele.

O desafio agora é encontrar uma forma para, concomitante às atividades de secretário de Estado, discutir com  a sociedade um proposta para o Maranhão.

O resto é “mimimi” de uma oposição que um dia imaginou que poderia ganhar eleição somente através de pesquisas e em cima de cabeças decapitas lá para as bandas da Penitenciária de Pedrinhas.

Assista ao vídeo abaixo e saiba porque os prefeitos já pedem voto para o pré-candidato Luis Fernando:

 

Edilázio inicia articulação de nova via política em Lago Verde

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) recebeu ontem em seu gabinete na Assembleia Legislativa, uma comitiva de vereadores de Lago Verde, município distante 286 quilômetros de São Luís. No encontro, os vereadores que fazem oposição ao prefeito Almeida (PP), manifestaram apoio à reeleição do parlamentar. A intenção do grupo é também construir uma nova via política no município.

Edilázio discutiu a atual conjuntura política com os parlamentares, apresentou projetos desenvolvidos na Assembleia Legislativa durante o seu mandato e buscou alternativas para a resolução de problemas pontuais no município, que segundo os vereadores, está em estado de abandono pela atual administração.

Em Lago Verde, declararam apoio ao projeto de reeleição do pevista os vereadores, Jackson (PSB), Latino (PRB), Professor Oliveira (PPS), Pretinha da Saúde (PTC), Davi (PTB) e Marcela do Filuca (PPS). Destes, cinco estão no primeiro mandato.

“Recebi com bastante entusiasmo e satisfação o apoio dos vereadores de Lago Verde, convicto de que o nosso trabalho na Assembleia Legislativa tem sido reconhecido. É mais uma prova de que devemos continuar a caminhada no Legislativo Estadual e contribuir com o desenvolvimento do nosso estado”, afirmou.

Ascom

Servidores do Socorrão I realizam protesto contra descaso com a saúde pública municipal

Os servidores do Hospital Municipal Djalma Marques, o Socorrão I, principal unidade de urgência e emergência, realizam uma paralisação de advertência na manhã desta quarta-feira (29). Os manifestantes, formados por médicos, enfermeiros, bioquímicos, radiologistas,assistentes sociais e servidores administrativos, estão concentrados em frente ao hospital e interditaram a Avenida Cajazeiras com um carro de som. O trânsito ficou congestionado em vários pontos do centro da cidade.

O descaso com a saúde pública municipal, a falta de estrutura e condições de trabalho, além da gestão do diretor Érico Cantanhede, são algumas das causas do protesto. Os servidores, também, reclamam do não cumprimento de direitos trabalhistas. Nesta quinta-feira (30), o protesto será feito no Hospital Municipal Clementino Moura, o Socorrão II.

O secretário municipal de Saúde, César Félix afirmou, que mesmo com a manifestação, o Hospital Socorrão I estará funcionando normalmente. “É um manifesto, mas o serviço não vai deixar de funcionar no Socorrão I. Pelo que estou sabendo amanhã, eles (servidores) devem paralisar Socorrão II. Eles reclamam da escala de plantões que já vem sendo discutida desde o ano passado, além do abastecimento, condições de trabalho e querem discutir também o Mais Médicos. Eles entregaram um panfleto aos servidores, mas não solicitaram até este momento nenhuma reunião comigo”, assegurou o secretário.

Os protestos são mais uma prova inconteste de uma administração pífia, eleita enganando a população com a falsa promessa de “mudança”. No dia em que tomou posse como prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior fez questão de mencionar o sistema municipal de saúde, destacando exatamente os hospitais de urgência: ”Os Socorrões estão em situação de calamidade pública”. Um ano depois, a situação de calamidade mudou, mas para pior. 

A mudança com os pés no chão

Blog do Marco D’Eça

O caminho é por terra. Passo a passo, mais e mais estradas interligadas. Outras já autorizadas pelo secretário estadual de Infraestrutura, Luís Fernando Silva.

Aos poucos, o Maranhão vê-se interligado, a cada obra inaugurada ou autorizada pelo secretário. Ontem (29), uma multidão em Lago da Pedra foi acompanhar e receber a assinatura autorizando  a execução de obras e serviços de Engenharia para melhoramento e pavimentação da MA-245.

Pela imagem é perceptível que o trabalho executado pelo secretário é de suma importância para esta e outras tantas populações que viram estradas finalizadas, melhoradas ou em vias de iniciar a obra.

Algo que, segundo lembrou e advertiu o próprio Luís Fernando, durante a assinatura do convênio, não era visto durante os tempos em que a oposição governou o Estado.

– A estrada é uma dessas mudanças positivas que temos mostrado ultimamente. Não adianta só falar, tentar enganar o povo com ‘mudança de gogó’. Nós falamos e fazemos, e está aqui mais um exemplo concreto da mudança que tenho proposto – disse.

As palavras do pré-candidato ao Governo do Estado, referem-se às inúmeras críticas acompanhadas da falta de projetos da oposição. Vale lembrar com isto que, quando se trata de estradas e interligar o Estado, um grande exemplo de má gestão foi o Governo de José Reinaldo Tavares.

Ao todo, 13 pessoas foram condenadas, em agosto do ano passado, por peculato, formação de quadrilha e fraude em licitação durante o governo Tavares. Foram várias as estradas fantasmas que não se ligavam a lugar algum (relembre aqui).

Apadrinhando agora o então candidato Flávio Dino, eles tentam alçar voo, já que por vias terrestres, as tentativas foram em vão e, atualmente, são apenas no blá blá blá. E nem mesmo este voo, que poderia ter sido pela Embratur, obteve muito sucesso (reveja aqui).

Nem por terra nem pelo ar a oposição chega até o povo. Enquanto isso, este aplaude aquilo que vê a dois palmos do nariz. Sem devaneios, com os pés no chão, como deve ser.

Simples assim.

Com redação de Aline Alencar