Jackson Lago afirma que decisão do PPS de apoiar Flávio Dino foi bom para o campo da oposição e que unificação das forças se dará no segundo turno

Ex-governador e candidato ao governo Jackson Lago

O candidato ao governo do Estado, Jackson Lago (PDT), recebeu com serenidade a notícia de que o Partido Popular Socialista, PPS, no Maranhão decidiu apoiar a candidatura do deputado federal Flávio Dino (PCdoB) a governador nas eleições de outubro deste ano.

Segundo comentou Jackson Lago, o PPS, assim como todas as legendas comprometidas com a luta por um Maranhão livre da oligarquia que completa quase meio século sob o comando da família Sarney, optou por apoiar outra candidatura do campo da oposição.

“Isso é bom para o processo democrático. É importante que todos os partidos decidam livremente no primeiro turno a melhor forma de se viabilizarem. Temos convicção, no entanto, de que todos nós estaremos unidos em uma grande frente democrática para derrotar a oligarquia Sarney, definitivamente, no segundo turno das eleições”, disse Jackson Lago.

O pedetista observou que historicamente sempre foi defensor da unidade das oposições como estratagema política para derrotar a oligarquia Sarney. Mas, com a instituição das eleições em dois turnos, a unidade se tornou inaplicável. Daí compreender perfeitamente as composições formadas pelos partidos da oposição.

A convenção do PPS foi realizada nesta quarta-feira pela manhã no Clube Vanguarda, na cidade de Bacabal.

Os delegados do partido referendaram a decisão da Executiva Estadual que se reuniu pouco antes da convenção para deliberar sobre alianças.

Eles também decidiram que irão apoiar as candidaturas do ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) e do deputado federal Roberto Rocha (PSDB) para o Senado Federal.

Jackson Lago disse ainda acreditar que no segundo turno das eleições os partidos irão discutir sobre propostas e programas unificados para encontrar meios de exercer a democracia em sua plenitude. “A composição das oposições é muito importante.

Se eu não for para o segundo turno apoiarei o Flávio Dino. O mesmo acontecerá com ele em relação a mim”, afirmou o candidato à reeleição.

A coligação de apoio à candidatura de Jackson Lago ao governo do Estado será formada pelo PDT, PSDB e PTC. Todos os partidos da aliança já realizaram suas convenções.

O registro da candidatura de Jackson Lago deve ser solicitado dentro do prazo estabelecido no calendário eleitoral, que termina no dia 5 de julho.

(da assessoria de Jackson Lago)

Por 5 votos a 3: PPS decide apoiar Flávio Dino e Zé Reinaldo

Flávio Dino e Zé Reinaldo se fortalecem com decisão do PPS
O PPS decidiu, por 5 votos contra 3, apoiar a candidatura do deputado federal Flávio Dino ao governo do Estado e Zé reinaldo para o Senado.

A convenção chegou a ser suspensa antes da votação.

A deputada Eliziane Gama e o vereador Altemir Lima defenderam o apoio a Flávio Dino, enquanto o presidente do partido, Paulo Matos e o candidato a deputado estadual Othelino Neto queriam Jackson Lago.

A decisão não atrapalha os planos da opsição na eleiçãop majoritária, o que houve foi apenas um remanejamento do PPS. A diferença da decisão está na eleição proporcional.

Quem mais ganha com isso é a deputada Eliziane Gama que terá um caminho mais fácil de volta a Assembleia Legislativa, já que terá mais chances de reeleição nessa coligação, do que numa coligaçãoPPS/PDT/PSDB.

Ao mais, tudo certo.

Confusão oficializada: convenção confirma Jackson Lago como candidato ao governo do Maranhão

Lideranças dos quatro partidos da coligação formada pelo PDT, PSDB, PTC e PPS marcaram presença no evento

Da assessoria de Jackson Lago

‘Vamos retomar a esperança de nossa gente, realizar um governo honrado e de participação popular. Vamos nos unir para mostrar a essa gente que não respeitou a vontade legítima do povo, que o voto é soberano. Vamos derrotá-los novamente. E, não apenas elegendo o governador, mas a maior bancada nas câmaras legislativas e no Senado”, disse Jackson Lago para centenas de pessoas que ocupavam o salão principal do Grêmio Lítero Recreativo Português neste sábado, 26, durante a convenção conjunta do PDT e PSDB.

Jackson Lago chegou ao local da convenção acompanhado dos candidatos ao Senado Federal, Roberto Rocha e Edison Vidigal, e se juntou a outros líderes históricos da oposição como Isaac Dias e a pedetista Maria Lúcia Telles, que aos 80 anos de idade nunca deixou de participar de uma convenção do partido.

Os prefeitos de São Luís, João Castelo; e de Imperatriz, Sebastião Madeira, ambos do PSDB, líderes políticos dos dois maiores colégios eleitorais do estado, destacaram o sentimento de repúdio que a população alimenta em relação à cassação do governador Jackson Lago.

Madeira contou que em suas andanças pela cidade a população tem cobrado a ele sua fidelidade ao doutor Jackson Lago como líder da libertação do Maranhão. Para o prefeito João Castelo, seu compromisso com o grupo, tem lhe rendido retaliações e perseguições com único objetivo de prejudicar sua administração.

Prefeitos e lideranças dos quatro partidos da coligação formada pelo PDT, PSDB, PTC e PPS, que terá Jackson Lago como cabeça da chapa, marcaram presença no evento. Também estiveram presente à convenção políticos de outros partidos, como PT e PSB, entre eles o deputado federal Ribamar Alves.

Após os discursos dos candidatos à eleição proporcional, já oficializado como candidato ao governo do estado nas eleições de outubro deste ano, Jackson Lago enumerou as razões pelas quais lhe foi cassado o mandato em um julgamento de corar de vergonha a Justiça brasileira.

“”Eles cassaram nosso mandato porque estávamos dando a população oportunidade de discutir o que eles queriam”, enfatizou o candidato à releeição. Citou obras na área da saúde como principal ameaça da continuidade da política de exclusão perpetrada pela oligarquia que domina o Estado há décadas. Por fim, disse estar determinado a dar continuidade ao projeto de democratizar o Maranhão.

Mais uma vez Jackson Lago apontou o absurdo da acusação na qual se basearam para usurpar seu mandato legitimado pela maioria dos votos: a assinatura de um convênio entre governo e prefeitura de Codó, na data do aniversário da cidade que acontece no mês de abril.

“Disseram que por estar ali, cassaram meu mandato. È uma mentira, um cinismo. Eu não era nada na época, não tinha nenhuma função pública”, argumentou Jackson Lago, aplaudido bastante pelos presentes que empunhavam bandeiras de partidos, candidatos à assembléia Legislativa, Câmara dos Deputados e Senado.

“O tucano está novamente junto com a rosa”, disse o presidente estadual do PSDB e candidato ao Senado, Roberto Rocha se referindo à reedição da aliança política com o PDT.

Segundo Edison Vidigal, candidato ao Senado nas eleições de outubro, o aumento da boataria sobre a candidatura de Jackson sinaliza desespero do grupo dominante. “Jackson será candidato, eleito e empossado”, afirmou Vidigal.

O ex-ministro do Supremo Tribunal de Justiça ameaçou incinerar os livros de direito do mundo inteiro se houver impedimento da candidatura de Jackson Lago por conta da Lei da Ficha Limpa. “Vamos fazer uma campanha para repor o Maranhão dentro do Brasil republicano. Os princípios republicanos são negados no Maranhão, assim como o princípio de que todos são iguais perante a lei. Aqui a lei não funciona”, salientou Vidigal.

Jackson Lago ressaltou que sua reeleição representará a retomada do Maranhão à trilha da legalidade. “Este dia entrará para nossa histórica como o mais memorável de nossas lutas pela liberdade. É confiando, sobretudo, na juventude que me engajo novamente nessa batalha para reconstruirmos a liberdade nesse estado”, disse o candidato à reeleição do governo do Maranhão.

Justificando seu voto ao candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, Jackson Lago afirmou que não poderia votar com aqueles aliados com o grupo que se embrenhou pelas estruturas de poder da União para desrespeitar a vontade popular.

Por conta e risco: Jackson Lago será oficializado hoje como candidato ao governo

Jackson Lago está confiante na vitória

Mesmo correndo o risco de entregar a eleição de mão beijada para a governadora Roseana Sarney(PMDB), por conta da Lei Ficha Limpa, o pedetista Jackson Lago será oficializado como candidato ao governo do Estado do Maranhão, neste sábado,26, durante convenção conjunta do PDTe PSDB, que contará ainda com participação de dirigentes e militantes do PTC (Partido Trabalhista Cristão) e PPS (Partido Popular Socialista) que estarão coligados na eleição majoritária deste ano.

Na semana passada, o ex-governador afirmou, durante coletiva, que manterá sua candidatura até o fim, nem que para isso tenha que travar uma batalha judicial, já que em seu entendimento, tem a ficha limpa, portanto, apto para disputar as leições.

O certo é que tanto otimismo pode atrapalhar os planos de retomada do poder, deixando-se cair na armadilha de seus adversários.

Caso Jackson Lago saia com sua candidatura sub judice(que depende de decisão judicial) correrá grande risco de ter seus votos do 1º turno anulados, permitindo, assim, que a governadora Roseana vença a eleição sem a necessidade de um 2º turno contra Flávio Dino, hipoteticamente falando.

A estrátegia de lançar candidatura sub judice, para que a Justiça anule os votos e favoreça um candidato no primeiro turno já foi utilizada com sucesso em outras eleições. E é exatamente isso que pelaneja os adversários de Jackson Lago.

Políticos e jornalistas tem o mesmo entendimento, de que Jackson está apostando muito alto sua candidatura. O preço não será apenas sua derrota pessoal mas a derrota de toda a oposição.

A maioria entende que tudo ficará mais difícil para a campanha Jacksita com uma candidatura sub judice, desde conseguir apoios até a captação de recursos para a campanha. sem contar a desconfiança do eleitorado.

Setores do PDT afirmam que uma desistência de Jackson selaria a vitória Roseanista.

É por causa desse pensamento pedetista que muitos acreditam que jackson fará o jogo do grupo Sarney.

É preciso que o ex-governandor Jackson Lago certifique-se da legitimidade de sua candidatura antes de enveredar numa aventura que poderá significar a derrota da oposição.

Convenção

A convocação foi feita de maneira unificada pelos diretórios estaduais dos dois partidos. A convenção acontece nas dependências do Grêmio Lítero Recreativo Português, local onde teve início a caminhada vitoriosa de Jackson nas urnas em 2006. O evento está marcado para ter início às 8 horas.

No mesmo evento serão homologados os nomes do deputado federal e presidente estadual do PSDB, Roberto Rocha, e do ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça, STJ, Edison Vidigal, do mesmo partido, como candidatos ao Senado Federal.

Há expectativa sobre o nome do candidato a vice-governador na chapa de Jackson Lago. Segundo informou em entrevista coletiva na semana passada o presidente regional do PDT, caberá aos outros partidos da coligação a indicação do nome a compor com ele a chapa que concorrerá ao governo do estado.

PSDB, PTC e PPS conversam para chegar a um consenso sobre o nome do companheiro de Jackson Lago que se propõe a governar o Maranhão a partir de 1º de janeiro de 2011.

A deliberação sobre formação de chapa às eleições proporcionais será realizada durante a convenção. Serão os delegados dos dois partidos com direito a voto que decidirão sobre a formação de chapa coligada para disputar vagas na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa do Maranhão.

A previsão é de que o PDT apresente cinco candidatos a deputado federal e cerca de 20 nomes para concorrer a um das 42 vagas na Câmara Estadual.

Além dos delegados, a convenção reunirá militantes e lideranças políticas como os prefeitos de São Luís, João Castelo; de Imperatriz, Sebastião Madeiras, ambos do PSDB, de Porto Franco, Deoclides Macedo e de Santa Rita, Dr. Hilton, que representarão os mais de 60 prefeitos eleitos pelo PDT nas eleições de 2008.

Movimentos sociais

Coordenadora da convenção, o sociólogo Leo Costa explicou que a ideia dos partidos aliados é que o momento se transforme em momento memorável do início da retomada do poder em nome do povo que referendou o nome de Jackson Lago nas eleições em 2006 e acabou frustrado dois anos e quatro meses após a outorga do mandato.

Representantes dos movimentos sociais também devem participar da manifestação democrática que a convenção do PDT- PSDB se confirmará. Dentre eles o Centro da Criança Marcos Passerini que vem trabalhando junto com lideranças comunitárias do estado na intenção de buscar a verdadeira mudança e reviver a esperança através da manifestação do voto.

“Estou orgulhosa, confiante, preparada para essa batalha que começa agora” afirma Roseana durante convenção

Roseana Sarney (PMDB) e sua chapa de mãos dadas

Do Imirante

A candidatura à reeleição da governadora Roseana Sarney foi confirmada na manhã de hoje, em convenção do PMDB, realizada no Centro Recreativo Social do Ipem.

Foi confirmado, também, como vice-governador, o deputado federal Washingon Luiz, do PT. Pela coligação majoritária, com 16 partidos – PMDB, PT, PTB, PP, PV, PR, PSC, PRB, PRP, PRTB, PSDC, PSL, PHS, PMN, PTN e PTdoB -, foram confirmadas as candidaturas de João Alberto (PMDB) e Edison Lobão (PMDB) para o Senado Federal.

Estiveram presentes militantes de todos os partidos que estão na chapa de Roseana Sarney, secretários do atual governo, deputados estaduais, deputados federais, além do senador José Sarney (PMDB).
O primeiro a discursar foi Washington Luiz (PT), que destacou os programas do governo de Roseana Sarney no Maranhão, como o Meu Primeiro Emprego, Viva Luz, Viva Água e valorização da educação profissionalizante.

“Esses programas devem continuar.[…] Vamos levar Dilma à presidência, vamos eleger Roseana, eleger João Alberto e Edison Lobão para o Senado. Sabemos que a luta é dura, mas vamos em frente”, finalizou.

Em seguida, o candidato ao Senado, João Alberto discursou, relembrando os anos de militância política ao lado do senador José Sarney e da governadora Roseana Sarney. “Olhamos para o passado e vemos o quanto Roseana já fez. Mas agora temos que olhar para frete para fazer muito mais pelo Maranhão”, ressaltou.

Também discursou o candidato a senador Edison Lobão. “Por três anos eu trabalhei com ele (Lula) e com ela (Dilma Rousseff), os dois se confundem em competência. Ela sendo eleita a presidente, e será, continuará essa grande obra no país”, disse Lobão. “Eu não quero falar dos adversários. Mas eles poderiam estar nesse palanque.

Não estão não porque não queremos, mas por intolerância deles. Porque eles cultivam o ódio. Nós governamos para o povo, com amor”, declarou.
Roseana Sarney, em seu primeiro discurso como candidata à reeleição ao governo do Estado do Maranhão, falou sobre as ações que tem desenvolvido há um ano, nas áreas de educação, saúde, infraestrutura, entre outras.

Ela reforçou, durante todo o seu discurso que “é para continuar esse trabalho que nós vamos ganhar essa eleição!”. A candidata do PMDB declarou o apoio à Lula e a Dilma Rousseff e destacou o apoio de todos os 16 partidos da aliança.”Com todos vocês seremos imbatíveis nessa eleição! […] Estou orgulhosa, confiante, preparada para essa batalha que começa agora. Que a partir de 6 de julho, tomará conta das ruas de São Luís, Caxias, Bacabal, Coelho Neto, com nossos projetos.[…] Vamos fazer uma campanha limpa, honesta.

Não faço campanha suja.[…] Na união está a nossa força! Nós temos tudo para construir uma grande vitória, para fazer um grande governo!”, finalizou.

PDT e PSDB acertam detalhes da convenção conjunta de sábado

Jackson Lago e Roberto Rocha acertam últimos detalhes sobre a convenção conjunta.

O candidato ao governo Jackson Lago, do Partido Democrático Trabalhista, PDT, e o candidato ao Senado, deputado federal Roberto Rocha, do Partido da Social Democracia Brasileira, PSDB, se reuniram hoje pela manhã para acertarem últimos detalhes sobre a convenção conjunta que realizam no sábado, 26, no Grêmio Lítero Recreativo Português, no bairro do Anil, em São Luís. O evento terá início às 8 horas e se estenderá até o meio-dia.

Na convenção estarão presentes dirigentes do Partido Trabalhista Cristão, PTC, e do Partido Popular Socialista, PPS, que estarão coligados na eleição majoritária deste ano.

Durante a convenção serão homologados os nomes do pedetista Jackson Lago para o governo do estado, do deputado federal Roberto Rocha e do ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça, STJ, Edson Vidigal, também do PSDB, para o Senado, além dos nomes que disputarão vagas na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa estadual.

“Estamos organizando o evento para que tenha dois momentos”, explicou Leo Costa, coordenador da convenção pelo PDT. De acordo com Costa no primeiro momento da convenção terão direito a palavra os candidatos às eleições proporcionais.

O tempo reservado para cada candidato que pleiteie a fala ainda deverá ser definido até a realização da convenção, no sábado.

No segundo momento da convenção será destinado aos discursos dos presidentes dos quatro partidos da coligação partidária da eleição majoritária, com destaque para os presidentes do PTC, deputado estadual Edivaldo Holanda; e do PPS, Paulo Matos.

Ao menos quatro prefeitos, sendo dois do PSDB e dois do PDT, deverão falar em nome das lideranças municipais do Estado: João Castelo (São Luís); Sebastião Madeira (Imperatriz), ambos do PSDB; e, Deoclides Macedo (Porto Franco) e Dr. Hilton (Santa Rita), os dois do PDT.

(da assessoria de Jackson Lago)

Serra só mantém vantagem no Sul e no eleitorado mais rico, diz CNI/Ibope

Infográfico

Da Folha

O detalhamento da pesquisa CNI/Ibope que mostrou Dilma Rousseff (PT) cinco pontos percentuais à frente de José Serra (PSDB) mostra que o tucano mantém vantagem sobre a petista apenas no eleitorado da região Sul e na faixa da população com renda per capita de mais de 10 salários mínimos ao mês.

No Sul, onde Dilma construiu sua carreira política, Serra tem 42% das intenções de voto contra 34% da petista, de acordo com o Ibope. No Sudeste, onde Serra foi prefeito e governador, e onde sustentava vantagem até então, a situação agora é de empate dentro da margem de erro, de dois pontos percentuais (37% a 36% para Dilma).

No Nordeste, Centro-Oeste e Norte, a petista está na frente com vantagens que vão de seis a 17 pontos percentuais.

Nos dados gerais, Dilma tem 40% das intenções de voto contra 35% de Serra. Marina Silva tem 9%. O Ibope ouviu 2.002 eleitores entre sábado e segunda-feira (a pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número 16.292/2010).

Já o eleitorado mais rico (renda per capita superior a 10 mínimos) registra a maior vantagem pró-Serra, de 16 pontos percentuais (43% a 27%). É nessa faixa que Dilma encontra sua mais alta rejeição –41% dessa fatia diz que não votará na petista de jeito nenhum, contra 23% da média geral do eleitorado.

A petista também mantém alta rejeição entre o eleitorado do Sul e entre as pessoas que possuem curso superior (31%).

Serra e Marina apresentaram rejeição similar na média (30% e 29%, respectivamente), sendo que a candidata do PV tem o maior índice no eleitorado do Nordeste –34% dizem que não votariam nela de jeito nenhum. A maior resistência a Serra está na faixa dos que têm renda per capita entre 5 e 10 salários mínimos: 35% de rejeição.

O detalhamento do CNI/Ibope mostra também que o eleitor com ensino fundamental, o do Nordeste e aquele com a pior renda do país (até um salário mínimo per capita) são os mais inclinados a seguir a indicação do presidente Lula, que apoia Dilma. Nessas faixas, de 57% a 67% dos eleitores dizem preferir votar naquele que Lula indicar.

Onde foi parar o dinheiro repassado pelo Ministério dos Esportes na gestão de Tadeu Palácio?

ex-prefeito Tadeu Pálacio não aplicou os recursos

As torres de iluminação do Estádio Municipal Nheozinho Santos simplesmente servem para nada, apesar dos recursos terem sido liberados pelo Ministério dos Esportes.

O dinheiro entrou na conta da Secretaria de Obras (Semosp), do então secretário Carlos Rogério, e não foi usado na recuperação do sistema de iluminação do estádio. Ao que tudo indica, foi desviado.

O prefeito João Castelo nunca falou sobre o que foi feito com o dinheiro. A prefeitura fez uma gambiarra para que as torres funcionassem. No primeiro raio, tudo foi queimado.

Ninguém na prefeitura se manifesta sobre a questão, e o problema com a iluminação do estádio continua sem solução.

O blog vai apurar maiores detalhes.

A força eleitoral de Weverton Rocha é uma farsa criada por ele

Weverton Rocha aprontou todas quando foi secretário de Esporte e Juventude no governo Jackson Lago

O jornalista Luis Cardoso diz em seu blog, que o determinado ex-secretário de Esporte e Juventude do governo de Jackson Lago, consolida apoio importantes para sua primeira eleição de deputado federal.

Segundo Cardoso, Weverton Rocha tem “atraído” prefeitos, vereadores, lideranças comunitárias e jovens para seu projeto.

Diz ainda que do lado da oposição, parece ter chances reais de se eleger.

Assessor do Ministério do Trabalho, Rocha teria sensibilizado o ministro Carlos Lupi da realidade do jovem no Maranhão trazendo-o pessoalmente para visitar o Estado.

O blogueiro informa ainda que o resultado, conforme publicação do novo site do ex-secretário “foi a assinatura de vários convênios com as prefeituras locais para aplicação de projetos de incentivo à capacitação e educação da juventude”.

Diz mais ainda, que estão em desenvolvimento atualmente o ProJovem Urbano e o ProJovem Trabalhador beneficiando mais de 30 mil jovens, entre 18 e 29 anos, que recebem suporte material e financeiro para se capacitar, conforme a mesma publicação.

Vem daí, do Ministério do Trabalho, do companheiro Carlos Lupi, sua maior injeção de campanha. São recursos nos bolsos dos jovens e das prefeituras a ele aliadas. Nada desprezível. Nada de anormal aos olhos cegos do Ministério Público Eleitoral.

Weverton Rocha está em descrédito na região Tocantina

O jornalista Luis Cardoso está correto, principalmente quando diz que tudo isso é normal aos olhos cegos do MPE.

Só erra quanto às chances de eleição do menino prodígio do PDT jovem, mesmo com todo aparelhamento do Ministério do Trabalho.

Acusado de causar um rombo no erário quando passou pela Pasta de Esporte e Juventude, Weverton Rocha não está com essa bola toda como faz questão de espalhar aos quatro cantos do Maranhão.

Prova disso é que na região Tocantina, principalmente nos municípios de Imperatriz e Açailândia, seus principais alvos, onde ele pretende puxar grande votação, as lideranças antes cooptadas por ele, já começam a esvaziá-lo.

Muitos afirmam que Weverton é um engodo e que ele tenta levar as pessoas na conversa. Além de ser acusado de não honrar compromissos feitos em troca de apoio.

Uma das principais causas de sua queda em Açailândia, está na sua irmã, antes cobradora de ônibus e agora, da noite pro dia, empresária do setor de transporte urbano do município.

A negociação foi quase R$ 2 milhões através de um laranja, que depois passou a empresa para o nome dela.

Ela segue os passos do irmão, não paga os funcionários em dias, atrasa o arredamento da garagem da empresa e cortou algumas parcerias antigas, do antigo dono.

E assim vai Weverton Rocha, achando que vai levar todo mundo na conversa.

Notícias, informações, entrevistas, reportagens e furos sobre política.